quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Momento nostalgia: Batman Eternamente - 20 anos


Alfred: - Posso persuadi-lo a levar um lanche?
Batman:  - Pego no drive thru. 

Esse é o primeiro diálogo de Batman Eternamente (Batman Forever no original), filme de 1995 que vinha com a  missão de dar uma repaginada no herói, que para os padrões da Warner se tornou muito sombrio com Batman - o Retorno (1992). Apesar de ter siso um grande sucesso de bilheteria os chefões da Warner queriam um filme mais leve, que fosse para toda a família. Sai Tim Burton e entra Joel Schumacher na direção, que deu uma estilizada no herói, abusando das cores e chegou até a colocar mamilos no uniforme do homem morcego. Além desses outro elemento característico de seus filmes é o humor. Os fãs não receberam bem essas mudanças, mas dentro daquela estrutura até que funcionou (embora em um filme do Homem Aranha caísse melhor =D).

Como uma reclamação dos filmes do Tim Burtom era falta de cenas de ação (!!!). Batman Forever já começa com uma sequência alucinante apresentando o vilão Duas Caras (Tommy Lee Jones) - ideia que foi repetida no filme seguinte, Batman & Robin (1997). O longa em alguns momentos lembra a série dos anos 60 estrelada por Adam West com seus vilões cômicos, que mais divertem que assustam. Por falar neles Jim Carrey rouba a cena em um papel oferecido primeiramente à Robin Williams; seu Charada é um vilão de desenho animado, feito com brilhantismo - apesar de os fãs o acharem muito caricato na performance.

     

Val Kilmer: O Batman de um filme só

O "estranho" Batmóvel

    Outra novidade trazida pela foi o Robin, que não apareceu nos dois filmes anteriores. Visto hoje após a trilogia de Nolan, Batman Eternamente é até um filme modesto, meio bobo, mas na época foi um dos maiores sucessos do ano de 1995. Por conta disso a Warner deu a Schumacher a direção do filme seguinte, Batman & Robin. De qualquer forma, vale  apena assistir Batman Forever, até para saber o caminho que o herói percorreu nas telas até conseguir respeito de público e crítica nos filmes mais recentes. Pode não ser perfeito, mas era o possível defeito naquele momento. Parece que foi ontem!

Nicole Kidman no início da carreira

Os vilões trapalhões

Alegoria de escola de samba? Não, Gotham City

  


   

Um comentário:

  1. Eu gostei de Batman Eternamente, não chegou aos pés dos anteriores mas ainda sim me diverti muito. Merda mesmo foi Batman & Robin, prefiro fingir que não existe.

    ResponderExcluir

Mundo Maia no facebook