sábado, 9 de abril de 2016

Batman vs Superman: A Origem da Justiça - crítica

                                                                                                                                      Por Carlos Maia
       
     Muito já se falou sobre o filme e criou-se uma certa polarização em torno: Uns amam cegamente e outros odiaram. Qualquer elogio ou crítica, mesmo a mais sincera, logo vira assunto pessoal. De fato Batman vs Superman: A Origem da Justiça está longe de ser um filme perfeito, tem suas falhas, mas também não chega a ser um filme ruim. Possui ótimos momentos, sobretudo quando o Batman está presente - por falar nele, a cena do assassinato dos seus pais deve ser das mais contadas e recontadas no cinema. Sim também para a discussão em torno da legitimidade do Superman (este, infelizmente, uma das partes fracas do longa). As cenas em que o Homem-Morcego realiza atos heroicos disfarçado de Bruce Wayne é das melhores coisas do filme. Seu mordomo Alfred, interpretado por Jeremy Irons está perfeito. A mulher maravilha também funciona muito bem na sua introdução, motivações e sequencias de ação e a tão criticada Lois Lane acaba tendo uma razão de ser dentro da lógica  construída: talvez os caras acharam que não era uma boa ideia colocar uma humana de personalidade forte pra fazer o contraponto com a Mulher Maravilha, vai entender. Não é algo que incomoda tanto.  Agora aquilo que não é legal no longa... 


         Algo que incomoda no filme, principalmente da primeira vez que se assiste, é a demora em se estabelecer uma simpatia com os personagens. leva um bom tempo até passarmos a acreditar naquelas caras e em suas motivações.
Curiosamente o primeiro personagem que permite uma certa aproximação é o Lex Luthor - mas por esforço do ator que do roteiro que não permite muito tempo para o desenvolvimento do personagem. Os filmes do Batman dirigidos pelo Joel Schumacher ensinaram no passado, que para um personagem funcionar tem que se manter fiel às suas origens, essência. E aqui está uma fas falhas do filme: tentar transformar o Superman em um personagem mais sombrio, (inclusive o Clark Kent); aí se perde o contraponto com o Batman. A introdução dos outros personagens da DC seria perfeita talvez numa cena pós créditos, talvez numa investigação do Batman. Os símbolos identificando cada um também não fazem sentido, visto que dentro do enredo do filme o mundo ainda não os conhece. 

       Se Batman vs Superman: A Origem da Justiça fosse lançado há vinte anos atrás, certamente entraria fácil para as maiores bilheterias do cinema, mas o público atual já está acostumado aos super heróis nas telas - do cinema e TV - e vender o filme como o embate entre os dois maiores heróis de todos os tempos já não garante o sucesso. Ainda teremos outros lançamentos importantes do gênero ao longo do ano e com uma dor no coração deve-se reconhecer que todos poderão fazer uma bilheteria maior que ao dos heróis da DC. De qualquer forma o filme vale o ingresso tanto pelas questões que propõe, como pelas sequencias de ação e ver finalmente um Batman carrancudo nas telas. Resta aguardar agora a versão do diretor e torcer que encontrem um caminho próprio para a Liga da Justiça como a Marvel encontrou para seus filmes.

    

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mundo Maia no facebook