terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Personagens alegóricos em Star Wars (parte 2)


   Já vimos aqui a primeira parte do belo trabalho de Danilo José Figueiredo. Continuemos agora acompanhando um pouco das alegorias presentes em Star Wars. Que a Força esteja com você! 



     Palpatine: Ele que inicia a série como um Senador, que depois adquire o cargo de Supremo Chanceler, depois Ditador e, por fim, Imperador, é na verdade Darth Sidious: o grande vilão da saga Star Wars. Darth Sidious nunca age diretamente, pelo contrário, através de seus poderes (políticos e da Força) manipula os acontecimentos e as pessoas para que façam o que ele quer dando a impressão de que o contrariam e, dessa forma, mantém sua identidade secreta de político respeitável. Por ser o sumo representante do mal Palpatine pode ser comparado ao Diabo que vive tentando os indivíduos para que eles se corrompam. Outro motivo que faz com que Palpatine seja comparado ao Diabo é a própria História de Lúcifer, que outrora fora o anjo predileto de Deus e que por se considerar tão bom quanto ele, traiu-o e tentou supera-lo, tornando-se assim seu arqui-rival. Vejamos, Palpatine é o maior representante dos Sith, uma ordem que se originou de uma cisão no Conselho Jedi, ou seja, havia alguns Jedi que acreditavam ter mais poder do que a Força pode conceder, esses Jedi descobriram o Lado Negro e, passando a utiliza-lo, tornaram-se os maiores inimigos da própria Força. 



Padmé Amidala: A antiga Rainha de Naboo se tornou Senadora ainda muito jovem. Ela  Com sua personalidade forte e sua beleza intensa faz com que Anakin ainda menino se torne perdidamente apaixonado. Essa paixão fará com que o rapaz se perca em suas
emoções e com que seus poderes fujam ao seu controle. Há aqui uma pista do que poderia ter acontecido se Cristo abandonasse sua missão para viver com uma mulher. Talvez Star Wars seja uma realidade alternativa sobre a História Bíblica do Messias Cristão.


        Luke Skywalker: Ele que teve sua trajetória na série original desenhada de uma forma que desse a impressão de que ele era  herói agora mostra sua verdadeira função: ser o legado de seu pai.
A garantia de que Anakin Skywalker cumprira sua missão, de que seu sacrifício não fora em vão. Luke seria o responsável pela nova ordem que se ergueria, por seu estabelecimento e por sua manutenção (será?).


O principal herói:
Neste item do trabalho, que é também a sua conclusão, tentarei explicar porque Darth Vader é Jesus Cristo em Star Wars.
Que Anakin Skywalker torna-se Darth Vader todos os que leram o texto os que conhecem um mínimo sobre a série estão cansados de saber. Que Anakin nasceu de uma mãe

virgem fecundada pela midiclorianas, também. Que ele era o escolhido das profecias para trazer equilíbrio à Força, também.

Quanto a Darth Vader, para os que ainda não haviam compreendido, seu sacrifício salva a Galáxia, mas como ele não deixou suas palavras em forma de pregação, seu legado é seu filho: Luke (do Latin Lux), a luz que saiu de dentro da escuridão. Vader cumpriu seu destino, encontrou o equilíbrio.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mundo Maia no facebook