domingo, 30 de dezembro de 2012

Melhores filmes de 2012

Cena de Esse Amor Que Nos Consome, de Allan Ribeiro


                              É evidente que aqui não estão todos os melhores filmes do ano de 2012. Não, não, é apenas uma homenagem afetiva de algumas películas que passaram pelos meus olhos ao longo deste ano que já está se despedindo.  Aqui apresento aqueles que, de uma forma ou de outra,  me tocaram por algum motivo:


     A Música Segundo Tom Jobim



                 A linguagem musical basta. A frase do próprio Tom já é um um resumo deste que é um dos melhores documentários já feitos sobre a vida de um músico. A trajetória do Maestro Soberano é mostrada sem obviedades: Sua obra fala por si mesma e não preciso uma infinidade de depoimentos como acontece em obras do gênero. Para quem ainda não viu, fica aí a dica!











Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge


                       Fecha com chave de ouro a  trilogia iniciada em 2005 com Batman Begins pelo Christopher Nolan. Diferente de outras adaptações de personagens de Quadrinhos, Nolan optou por uma abordagem realista do "personagem", onde cada uniforme, veículo, acessório devem ter um pé na realidade, não podem ser tirados do nada apenas para impressionar. A sua Gotam City é a cidade de Nova Iorque, tirando o tom fantasioso das cidades cenográficas. Para quem ainda não conferiu nenhum dos três filmes, vale a pena.


  Pina
 
Este ainda não vi, mas é indicação da atriz Vanessa Úrsula: Fala da dança com uma linguagem inovadora, poesia pura!


                                        

Esse Amor Que Consome



                    Primeiro longa do cineasta Allan Ribeiro, esse amor que nos consome é uma verdadeira experiência cinematográfica; uma aula do é cinema, com uma sensibilidade que não se vê todos os dias. 


sinopse: 

                       Gatto Larsen e Rubens Barbot são companheiros de vida há mais de 40 anos e acabam de se instalar em um casarão abandonado no centro do Rio de Janeiro. Ali, eles passam a viver e ensaiar com sua companhia de dança. A luta do dia a dia se mistura à criação artística e à crença em seus orixás. Por meio da dança, espalham-se pela cidade, marcando seus territórios.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mundo Maia no facebook