quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Missão: Impossível - Nação Secreta (crítica)


             Passados 19 anos hoje percebe-se que o primeiro Missão Impossível (1996), que inaugurou a franquia baseada na popular série de TV, ainda é o melhor de todos.  Não que os posteriores fossem ruins, longe disso - apenas ficaram dependentes demais das cenas de ação. No primeirão, dirigido por Brian de Palma,  era tudo na medida certa, um excelente longa de espionagem que nos mantinha presos a trama do início ao fim. 

        Missão Impossível - Nação Secreta escrito e dirigido por Christopher McQuarrie é um bom produto de entretenimento, embora esteja um pouco abaixo do anterior, o Protocolo Fantasma (2011). Novamente temos Simon Pegg funcionando bem como o alívio cômico  e servindo também como os olhos do espectador comum no meio de tantas proezas inacreditáveis. Uma ponto a favor do filme é que ele se distancia muito de outros filmes do gênero, como os últimos do 007, que ganharam uma abordagem mais sóbria. Aqui não se esconde que o principal objetivo é entreter durante todo o tempo. Algumas sequências de ação até chegam a lembrar das produções anteriores (para os fãs mais atentos). Por falar na ação, percebe-se claramente em muitas cenas o esforço para produzir um produto especialmente para o 3D. 
         Vale a pena assistir o longa. Diversão garantida sem nenhuma pretensão. 


       


             Confira abaixo os trailers dos filmes anteriores: 

       


       


       


      

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mundo Maia no facebook