terça-feira, 19 de novembro de 2013

Herança (Paulo César Feital)


 "Sou descendente direto das noites e dos nervos,
Poeta das mazelas sentimentais,
Do índio, do negro, dos sambas e frevos,
Dos choros e risos, do sangue dos carnavais.

Cultivo no coração o desmazelo dos largados,
Razão pela qual, vivo a vida dos esperançados
Com a ingenuidade de um bêbado fuleiro.

E orgulhosamente sinto-me agraciado,
Pois o sangue em minhas veias tão miscigenado
Corre pelos rios do meu corpo brasileiro."


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Mundo Maia no facebook